O paciente que é anestesiado para um procedimento cirúrgico perde a capacidade de termo-regulação, carecendo de alguma geração de calor externa, normalmente resolvida com o uso de colchões ou cobertores térmicos, garantindo a manutenção da normotermia.

Além do aquecimento para a manutenção da normotermia, os colchões podem ser resfriados, para se induzir hipotermia terapêutica.

Os colchões e cobertores térmicos a base de água são muito mais eficientes na troca de calor em relação aos sopradores de ar.

Para o paciente ser aquecido com mais eficiência, é importante que a geração do calor esteja por baixo do paciente, uma vez que o calor tende a subir.

Se o intuito é resfriar o paciente, cobri-lo com o cobertor térmico resfriado é o método mais eficiente, pois o frio tende a descer. É possível também utilizar um acessório tipo capacete, para resfriar o crânio em casos de hipóxia para prevenir sequelas neurológicas.